obesidade infantil
O bem-estar econômico e alguns hábitos alimentares errados, combinados com um estilo de vida sedentário que começa desde os primeiros anos de idade, favoreceram uma disseminação cada vez maior da obesidade infantil, que afeta muitas crianças também em nosso país.

Hoje queremos explicar quais são as causas, mas acima de tudo como prevenir a obesidade infantil.

As duas principais causas da obesidade infantil são a má nutrição em termos de qualidade e quantidade e estilo de vida sedentário.

Entre os hábitos alimentares mais errados e prejudiciais à saúde das crianças estão os produtos de consumo calórico, altamente palatáveis ​​para a criança.

A obesidade infantil é um fator de risco

A obesidade infantil e, em geral, a obesidade, representa um dos principais fatores de risco para o desenvolvimento de distúrbios metabólicos, como diabetes e hipertensão.

A esses problemas, que já são muito graves, devemos também adicionar outras complicações de saúde:
  • Doenças respiratórias
  • Dificuldades articulares
  • Problemas posturais
  • Distúrbios do trato digestivo
  • Transtornos psicológicos
Uma criança obesa enfrenta problemas demais para sua idade, com sérias repercussões psicológicas e consequentes distúrbios comportamentais.

Numerosos estudos realizados nas últimas décadas destacaram uma relação entre a obesidade infantil e a obesidade adulta, sugerindo que uma criança obesa ou com sobrepeso continuará assim mesmo quando adulta, mas também uma relação entre pais obesos e crianças obesas, um sinal de um problema.

Dicas para prevenir a obesidade infantil com boa alimentação

1 – Dê a criança a oportunidade de escolher

Dar uma opção única, talvez não muito convidativa, pode ser frustrante para uma criança. Mas permitir que ela escolha entre dois alimentos igualmente saudáveis ​​permitirá que ela se sinta mais confiante e minimize o risco de recusa total de alimentos.

2 – Café da manhã é muito importante

O café da manhã é um momento essencial, mas 33% das crianças o tornam inadequado e 8% o ignoram por falta de tempo ou apetite.

Nutricionistas de plano de saúde individual, dizem que o café da manhã perfeito deve ser construído, fornecendo todos os nutrientes. Você pode começar com pão ou panquecas, cereais, biscoitos, tostas ou assados. Tudo combinado com um copo de leite, iogurte branco ou bebidas e uma porção de frutas frescas.

3 – Lanche da manhã

O lanche da manhã serve para fornecer energia para as crianças. Isso representa uma pausa no estudo ou na brincadeira e permite que ela recupere suas forças para continuar suas atividades diárias.

O ideal é que a criança coma algo fácil de digerir sem saciar muito, de modo a chegar no almoço, mantendo um apetite adequado. Esse lanche não deve ser substituído no café da manhã e não deve ter muitas calorias ou muita gordura, açúcar e sal.

4 – Atenção ao almoço

O almoço é a refeição mais importante do dia e a mais sacrificada pelas crianças, geralmente devido aos lanches abundantes. Deve garantir 40% do total de calorias diárias com um concentrado de boas calorias.

Para ser equilibrado, deve conter a quantidade certa de carboidratos, proteínas, gorduras e nutrientes. Pode ser estruturado com legumes crus ou cozidos, carne, cereais e fibra.

5 – O jantar deve ser leve

Finalmente, o jantar deve ser simples, leve e comido em família. É a refeição que reúne a unidade familiar e pode ser um momento privilegiado de comunicação entre pais e filhos.

Na base de um jantar nutritivo para crianças, deve haver uma parcela adequada de carboidratos, acompanhada ou combinada com uma porção de proteína.

O hábito das crianças de recusar vegetais deve ser combatido para o seu próprio bem. Você pode oferecer um no início da refeição e depois, como acompanhamento ou inseri-lo na preparação de pratos exclusivos.

O jantar é a refeição que antecede o sono; portanto, se contiver ingredientes simples, como carne ou queijos com baixo teor de gordura, com a adição de óleo cru após o cozimento, será mais fácil e rápido digerir.

6 – Ofereça muitas frutas e legumes

Existem vários truques para aproximar as crianças de frutas e legumes que tradicionalmente não estão entre os alimentos mais amados.

É importante saber como apresentá-los de uma maneira divertida. A fruta, acima de tudo, pode ser um alimento cativante, então tente aprimorar seu sabor, mas também sua cor, cortando-a de uma maneira divertida ou preparando espetos variados, divertidos para comer como um lanche.

Mesmo à mesa, devemos primeiro dar um bom exemplo e comer a quantidade correta de frutas e legumes, para que seja normal que eles façam parte de um almoço e jantar saudáveis.

7 – Prossiga em pequenas etapas

Começar com pequenas mudanças pode reduzir a pressão no horário das refeições e ajudar a evitar discussões. Com perseverança e um desafio para provar ou as devidas garantias de que não há nada errado com um alimento que você não gosta, você incentivará seu filho a experimentar novos alimentos.

8 – Dê um bom exemplo

Finalmente, quando se trata de bons hábitos alimentares e estilos de vida saudáveis ​​que promovam a prevenção, é importante destacar o fato de que os pais devem sempre se lembrar de dar um bom exemplo.

Poucas estratégias são eficazes para mostrar às crianças que comer frutas e legumes é saudável. A união faz a força e, neste caso, a saúde também!

Esperamos que este artigo o ajude a entender como combater a obesidade infantil. Se tiver alguma dúvida, deixe nos comentários abaixo.

1 Comentários

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem