selic


No ano passado, o rendimento da poupança diminuiu gradualmente e o dinheiro investido nela cada vez mais perdeu seu valor. No entanto, desde março de 2021, com a contínua alta da Selic, esse quadro mudou, e as novas decisões do banco central mais uma vez impactam positivamente seu rendimento.

O Comitê de Política Monetária Nacional, mais conhecido como Copom, decidiu por aumentar a taxa Selic. Atualmente, é o parâmetro de cálculo para rentabilidade da poupança, no último dia 22, passou de 5,25% para 6,25% ao ano.

Além disso, no cenário atual de taxas de juros, o rendimento da caderneta aumentará, em comparação com os últimos meses.


Portanto, a caderneta de poupança tradicional costuma ser a melhor escolha de investimento, especialmente sobre os fundos com taxas de administração superiores a 1% ao ano

O que é a Selic

A taxa básica de juros da economia brasileira, é popularmente denominada como taxa Selic. Visto que, ela afeta todas as outras taxas de juros no Brasil, como taxas de juros de empréstimos, financiamentos e até mesmo sobre retornos de investimentos financeiros.


O Comitê de Política Monetária do Banco Central, (Copom) é o responsável por definir o valor dessa taxa. Ele se reúne a cada 45 dias para determinar se a taxa Selic irá aumentar, diminuir ou permanecer estável.


A taxa de juros Selic muda por conta da instabilidade econômica do país, portanto, é necessário ajustá-la para se adaptar à situação atual, a fim de manter o equilíbrio e garantir que o dinheiro continue circulando.


A taxa Selic atualmente é de 6,25% ao ano. O Copom definiu no último dia 22 de setembro de 2021, o aumento da alíquota de 5,25% para 6,25%. Sendo o quinto aumento consecutivo.

Crédito

A Selic é a referência para os custos das linhas de crédito gerais. Visto que, quando ela aumenta, o custo dos empréstimos e financiamentos fica mais alto, ou seja, os bancos e outras instituições financeiras cobram taxas de juros mais altas por esses negócios.


No entanto, quando a Selic cai, ocorre o contrário: as taxas de crédito ficam mais baratas.

Consumo

O consumo e o crédito andam de mãos dadas. Visto que, ao ficar mais caro os financiamentos e empréstimos, os níveis de consumo naturalmente tendem a diminuir, porque o custo aumentará para os produtos e serviços 


Além disso, a tendência é que uma alta da Selic resulte em queda nas compras. Entretanto, quando a Selic cai, o consumo tende a aumentar.

Investimentos

De maneira geral, o aumento da taxa Selic favorece os investimentos em renda fixa, que proporcionam uma remuneração baseada em juros. É o caso das cartas de créditos, CDBs tradicionais emitidos por bancos, títulos públicos e outras opções.


Todos esses papéis tendem a ter maior rentabilidade em períodos de alta da Selic. Da mesma forma, quando as taxas de juros diminuem, seus rendimentos também diminuem.


No entanto, existem outros investimentos de renda fixa que continuam a ter uma vantagem em relação à poupança. Por exemplo, CDB, títulos do Tesouro Direto e até contas que ofereçam rendimento através de taxas do CDI, como o BTG Pactual, são algumas das opções.

Quanto rende a poupança com a Selic a 6,25%?

Quem investe R$ 5 mil na poupança com taxa de juros Selic de 6,25%, terá uma taxa de retorno de aproximadamente R$ 218,75 em um ano. 


A taxa de rendimento na poupança com essa Selic é de 4,375% ao ano e cerca de 0,36% ao mês. Quanto mais tempo o seu dinheiro for investido, maior será a rentabilidade.


Poste um Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem